“Sandália Monzon, 210” traz cartas enviadas a Lula enquanto esteve preso

Por Página 13

Livro, publicado pela editora Página 13, traz cartas enviadas por Valter Pomar, da direção nacional do Partido dos Trabalhadores, ao presidende Lula enquanto ele esteve preso em Cutitiba, no Paraná. O autor entende que é “útil publicar as cartas porque elas tratam de muitos problemas que estamos enfrentando hoje”. O livro leva o nome do endereço da sede da Polícia Federal em Curitiba e pode ser descarregado aqui.

A seguir, é possível ler a apresentação do livro.

BOA LEITURA!

 


Apresentação

“Sandália Monzon, 210” é o endereço da sede da Polícia Federal em Curitiba, estado do Paraná, Brasil. Quando Lula lá esteve preso, além das visitas, ele recebeu muitas cartas. Algumas destas cartas foram enviadas espontaneamente, outras foram escritas a pedido. É o caso das que constam neste livreto, redigidas por estímulo e solicitação do Marco Aurélio, então assessor do Lula e hoje seu chefe de gabinete.

Em geral, as cartas foram digitadas e enviadas por correio eletrônico ou zap para Marco Aurélio, que as fazia chegar a Lula. Algumas foram manuscritas. Ocasionalmente, junto da carta escrita para o próprio Lula, seguia anexa uma mensagem enviada originalmente a outro dirigente partidário (por exemplo, Fernando Haddad e Gleisi Hoffmann). Para que o leitor as diferencie, as cartas para “terceiros” estão destacadas com um fundo cinza.

Minha intenção original era publicar as cartas em dezembro de 2018, logo depois da eleição. A pedido de algumas pessoas, não fiz isso. Agora, passados mais de cinco anos, creio que não há motivo algum para não tornar pública parte das opiniões que transmiti, na época, ao companheiro Lula e a outras pessoas.

O ideal é que as cartas fossem acompanhadas de notas de rodapé, mas isto faria com que a edição atrasasse mais uns cinco anos. Assim, peço desculpas, mas este trabalho editorial ficará para uma (se houver) segunda edição.

Lula nunca respondeu diretamente a nenhuma dessas cartas, embora as tenha comentado com pelo menos duas pessoas que o visitavam frequentemente. Por óbvio, o que ele disse a respeito, não me caberia dizer, mesmo que soubesse.

Acho útil publicar as cartas porque elas tratam de muitos problemas que estamos enfrentando hoje. Isso ocorre, em grande medida, porque o Partido dos Trabalhadores não deu continuidade à principal resolução de seu 6º Congresso, realizado em 2017, a saber: a disposição de mudar de estratégia. Tal mudança não ocorreu e reincidimos, em 2018 e hoje, em erros velhos e conhecidos.

Espero que direção nacional do Partido dos Trabalhadores e o presidente Lula façam rapidamente a inflexão necessária, sob pena de sofrermos derrotas mais sérias e no curto prazo.

São Bernardo do Campo, 12 de junho de 2024

Valter Pomar

3 respostas

  1. Cartas … Cartas que quando estamos isolad@s, temos e sentimos, em cada letra, palavra, frase … uma lufada de ESPERANÇA.
    Aqui do além mar desde Angola, imagino o recordar é viver … de uma experiência sofrida por quem ama a Liberdade a Igualdade e a Fraternidade, personificadas em meu/nosso Lula.
    Bem aventuradas cartas.
    Lerei com todaca atenção, honra e gratidão pela partilha e testemunho de uma vivências que não teve fronteiras.
    Ao seu autor Walter Pomar, obrigada.
    Voltarei …

  2. Importante publicação até mesmo com reflexões políticas, que podem chegar a filiados e militância.
    Há uma falta grandiosa do nosso PT Nacional quando não tem uma sabedoria política como estratégias funcionais desde 2018 frente a esta esquerda que cresce e engrossa sua força sobre o Brasil mal informado.
    Acorda PT NACIONAL! TIRA PELO MENOS OS DIRETÓRIOS ESTADUAIS DA INÉRCIA POLITICA!
    SÓ PRATICSM O CORONELISMO E A POLITICAGEM!

  3. Vou ler. Ótima iniciativa, depois de ler , comento. Concordo em tese sobre a resolução do PT de haver “disposição de mudar a estratégia de atuação” . Sofremos ainda hoje com a aliança feita a época para viabilizar o Mensalão., só para citar uma opinião minha de fundador do PT. Saudações

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *