Convocação aos militantes da tendência petista Articulação de Esquerda das universidades públicas

Convocação aos militantes da tendência petista Articulação de Esquerda das universidades públicas

Convocação aos militantes da tendência petista Articulação de Esquerda das universidades públicas

Convocamos todas/os companheiras/os Técnico-Administrativos em Educação (TAEs) das universidades públicas brasileiras que são militantes e simpatizantes da tendência petista Articulação de Esquerda a se somar na luta pela educação e pelo serviço público brasileiro. Venham construir a tendência sindical da Articulação de Esquerda na base da FASUBRA.

Chegou a hora para que os companheiros da AE das universidades cerrem fileiras na resistência contra a destruição da nossa categoria pelo governo Bolsonaro. Os ataques são intermináveis e precisamos nos organizar para enfrentar o inimigo do povo.

Desde o Temer, que governo federal tem imposto derrotas profundas aos trabalhadores brasileiros. A orientação neoliberal que enfraquece o Estado brasileiro tem destruído anos de acúmulo da classe trabalhadora brasileira. A reforma trabalhista, a PEC do teto de gastos, a PEC emergencial, as reformas da previdência e administrativa são demonstrações evidentes dos interesses da classe dominante no orçamento público nacional.

A pandemia de Covid 19 já alcançou mais de 280 mil mortos por causa da necropolítica promovida pelo governo Bolsonaro e a classe trabalhadora tem sido a principal vítima.

O bolsonarismo tem na educação seu principal alvo estratégico. São politicas que perpassam desde a “escola sem partido” até a “militarização das escolas”. Nas universidades federais, o governo Bolsonaro além de reduzir orçamento, tem promovido a perseguição aos professores e desrespeitado a democracia das comunidades empossando reitores não eleitos.

No cotidiano dos TAEs a repressão tem aumentado. Reitorias conservadoras têm aumentado a jornada de trabalho, implementado do ponto eletrônico e tensionado pelo retorno ao trabalho sem a devida vacinação da categoria.

É bom ressaltar que os TAEs estão desde o governo Dilma, em 2015, sem reajuste. Com a aprovação da PEC emergencial as categorias do serviço público podem ficam mais 15 anos sem qualquer aumento salarial. Diante desse cenário, só nos resta à luta.

A Comissão Sindical Nacional da AE orienta os dirigentes nos estados que busque identificar militantes e simpatizantes da AE nas universidades públicas, para que venham fortalecer a nossa intervenção junto a FASUBRA. Esse é um passo importante para nossa organização sindical, fortalecer a intervenção no CONFASUBRA, refiliar a federação a CUT e seguir defendendo uma educação pública de qualidade.

Comissão Sindical Nacional da AE

Contatos:

(21) 99696-5195 (whatsApp) – Comissão Sindical Nacional da AE

www.facebook/articulacaodeesquerdafasubra

Deixe um comentário