Manifesto do campo político da candidatura própria do PT no Ceará

Manifesto do campo político da candidatura própria do PT no Ceará

Manifesto do campo político da candidatura própria do PT no Ceará

Manifesto do campo político da candidatura própria do PT no Ceará

Nota ao Encontro do PT-CE

Candidatura Própria do PT
Agora É Pra Valer!

Manifesto do campo político da candidatura própria do PT no Ceará aos delegados e às delegadas do Encontro de Tática Eleitoral do PT-CE

Depois de um processo longo, o PT decidiu pelo lançamento de uma candidatura própria ao Governo do Estado do Ceará.

Trata-se de uma decisão histórica, depois de 16 anos de subordinação ao projeto político identificado com a família Ferreira Gomes. A aliança persistiu mesmo em face dos ataques cotidianos e violentos desferidos por Ciro Gomes contra o PT e contra Lula. A aliança se sobrepôs até ao objetivo nacional do PT de eleger Lula para derrotar o governo da extrema-direita de Bolsonaro.

Neste sentido, nós saudamos a decisão, e nos colocamos na primeira fila desta campanha para levar o PT à vitória contra Bolsonaro e contra seu representante no Ceará.

A decisão de lançar a candidatura, contudo, acabou por não ensejar um debate capaz de abraçar o conjunto da militância. Um debate necessário sobre os pontos para uma plataforma ao governo estadual, uma discussão acerca do arco de alianças e sobre suas bases, tudo isso era necessário para potencializar esta histórica decisão de lançar um candidato próprio do PT.

O Encontro Estadual de Tática, previsto para o sábado, dia 23, foi desmarcado na noite do dia 22, inviabilizando o debate que segue sendo necessário.

Em seguida, logo no dia 24, foi anunciada pela imprensa a escolha do companheiro Elmano de Freitas. Não duvidamos das qualidades do companheiro, mas estimamos que perdemos a oportunidade de decidir nosso nome para a disputa do Governo do Estado a partir de uma discussão ampla e democrática da militância que, sem dúvida, poderia ser o do próprio Elmano, no contexto de uma congregação da militância representada pela reunião do Encontro Estadual.

O Encontro Estadual foi finalmente marcado para ser realizado precariamente on line na tarde desta quarta, dia 27, em condições difíceis para o debate e com enormes limitações para o confronto de ideias e tomadas de decisão. Tememos, com sérias razões, que o Encontro seja tão somente homologatório de uma decisão já tomada sem a participação enriquecedora da militância.

Estas críticas, que consideramos necessárias, não diminuem em nada nossa disposição e nosso compromisso de levar uma batalha até as últimas consequências para levar Lula à presidência e Elmano ao Governo do Ceará como instrumentos para reconstruir e transformar o Brasil e o Ceará, porque esta é uma necessidade urgente do nosso povo.

Chamamos a atenção para a necessidade de colocar em discussão não só com a militância, mas com o povo cearense, o programa de governo a ser apresentados pela candidatura petista, a exemplo do processo participativo em torno da campanha nacional de Lula. Neste sentido, é que levantamos alguns pontos que nos parecem fundamentais:

– Fortalecimento do serviço público, revogação das medidas que tiraram direitos dos servidores, revisão da gestão privada dos serviços públicos e fim do teto dos gastos, acompanhando a meta prevista no programa de Lula de rever a Emenda Constitucional 95.
– Adoção de mecanismos que possibilitem a autogestão e empoderamento popular nos territórios, com planejamento e orçamento públicos participativos e conselhos sociais para controle social das prestações de serviços e obras públicas;
– Superação de uma política de segurança pública dominante e autoritária, permeada pelas culturas da violência, da repressão aos pobres e do encarceramento em massa, transitando para modelos efetivos de segurança cidadã comunitária;
– Implantação de um plano de emergência de adaptação climática, articulado com a sociedade e governos de outras esferas, para fazer frente à crise sócio-ambiental planetária e epidemias;
– Inversão de prioridades na gestão pública – especialmente focadas na classe trabalhadora, em negros, mulheres, jovens e segmentos excluídos – com investimentos maciços em políticas de combate à fome, com geração de trabalho e renda na agroecologia, arte e cultura locais e empreendimentos sociais, pela preservação da vida das pessoas e do planeta.

Entendemos que nossa campanha deva assegurar os espaços e meios para permitir a necessária discussão para a construção participativa e abrangente de temas como: saúde, educação, segurança, inclusão, entre outros, num programa de verdadeiras e urgentes transformações em favor de nossa gente.

Este processo de soma à necessidade urgente de irmos todos e todas ganhar as ruas, corações e mentes para eleger Lula, Elmano, Camilo e expressivas bancadas comprometidas com a retomada do protagonismo democrático popular rumo ao socialismo!

Fortaleza, 27 de julho de 2022

Articulação de Esquerda
Diálogo e Ação Petista

Deixe um comentário