Mensagem às trabalhadoras e aos trabalhadores e em defesa do campo negro-popular

Mensagem às trabalhadoras e aos trabalhadores e em defesa do campo negro-popular

Mensagem às trabalhadoras e aos trabalhadores e em defesa do campo negro-popular

Por Fausto Antonio (*)

Epigrafia  do Pato Amarelo de  Troia na  encruza eleitoral

Negrada,

Pato Amarelo, eco  branco,

somente nas   cabeças  brancas. 

Eco  branco , negrada,

 Só mente nas cabeças negras.

Fausto Antonio

***

“A Carta às brasileiras e aos brasileiros em defesa do Estado Democrático de Direito”  é, de  acordo com a FIESP e a FEBRABAN, o retorno da terceira via.  Para desmontar leituras ingênuas, é  fundamental dizer que se trata, com signatários da burguesia, de uma Carta em defesa da frente  ampla ou terceira via  sem Lula, PT e o campo negro-popular.

Os golpistas  querem ativar a Terceira  Via ou a Frente  Ampla? Sem dúvida, o objetivo é deixar  aberta ou sedimentada a base para enfrentar Lula no primeiro e no segundo turno. No primeiro turno, o apoio recairá na candidata Simone Tebet; no segundo, no  embate da esquerda versus  extrema direita fascista,  darão total apoio, é  uma posição de  classe e raça, ao bolsonarismo e a Bolsonaro.

Os  golpistas não defendem  a democracia;  eles, FIESP e FEBRABAN, querem vitalizar e viabilizar  a frente  ampla ANTILULA E  ANTIPT.  O movimento  está  na contramão de Lula, do PT  e do campo democrático negro-popular. O  PSDB está  na linha  de  frente  do processo; o PMDB igualmente.  Bolsonaro é, em concordância com o projeto golpista e do imperialismo, apenas um fantoche ou peça  tática.   O movimento pretende governar  o  país  e à  serviço dos  privilégios  dos banqueiros (FIESP e FEBRABAN);  e há  a  ação  direta  dos imperialistas e golpistas sistêmicos dos EUA.  O  imperialismo está  no comando.

Em termos mais precisos, a burguesia e o imperialismo, sob comando  dos  EUA e OTAN,  querem  governar  a  partir dessa  frente  ampla. A geopolítica e o desmonte dos BRICS  são alvos ou  amarras e, na mesma chave, há a captura e  a entrega  do território brasileiro e dos recursos existentes no solo e subsolo do país.  É uma  política do imperialismo e  dos  banqueiros brasileiros e/ou da burguesia empresarial branca,  golpista, racista e apoiadora do golpe de 2016, isto é, de Bolsonaro e do bolsonarismo. Há alguma novidade no processo?  Não! Assistimos ao filme no advento dos patos amarelos, das mobilizações pagas e/ou financiadas por banqueiros e pela nata da burguesia financeira no mensalão, golpe de 2016, prisão de Lula  e eleição de 2018.

O filme será rebobinado e reapresentado  para a disputa eleitoral e política de 2022.  Quem assina ou assinará a carta, pato amarelo troiano e imperialista, assegurará os privilégios de classe e raça sintetizados pela nata da burguesia branca brasileira.

(*) Fausto Antonio –  Escritor, poeta, dramaturgo  e professor da Unilab – Malês – Bahia.

 

Deixe um comentário