Articulação de Esquerda encerra seu VI Congresso debatendo uma alternativa de esquerda

Articulação de Esquerda encerra seu VI Congresso debatendo uma alternativa de esquerda

Articulação de Esquerda encerra seu VI Congresso debatendo uma alternativa de esquerda

Por Redação Pagina 13 (*)

Entre os dias 04 e 05 de setembro, 114 delegados e delegadas, das mais diversas cidades do país, reuniram-se na segunda etapa do VI Congresso da tendência petista Articulação de Esquerda, que transcorreu em uma sala virtual. Estiveram presentes também dezenas de companheiros e companheiras observadores, além daqueles que puderam acompanhar os debates do primeiro dia pela transmissão no youtube, que se encontra ainda disponível aqui (manhã) e aqui (tarde).

O Congresso contou igualmente com a presença e a saudação de vários dirigentes petistas convidados, entre eles, Joaquim Soriano, Jorge Júnior, Rui Falcão, José Genoino, Breno Altman, Celso Marcondes, Rita Camacho, Ecila Meneses, Wladimir Pomar, Newton Albuquerque e Douglas de Santos, além de lideranças da própria Articulação de Esquerda, como Ary Vanazzi, Dionilso Marcon e Natália Bonavides.

A pauta principal do VI Congresso foi o projeto de resolução, tratando da situação política geral, denominado “Brasil livre, Lula presidente! Derrotar as duas direitas, construir uma alternativa de esquerda!!”. Também foi debatida e aprovada uma resolução de caráter organizativo, atualizando a resolução que havia sido aprovada na primeira etapa, e outra resolução sobre o SUS. Essas resoluções podem ser acessadas e lidas aqui.

Durante o congresso também foi apresentado o Censo dos Militantes da Articulação de Esquerda, que revela o perfil e as principais características da militância da tendência. Responderam ao censo, 524 militantes de 23 estados, mais o Distrito Federal. Destes, 56% são homens e 44% são mulheres e, da perspectiva do recorte étnico-racial, 54% são brancos, 43% são negros, 2% indígenas e 1% oriental. O Censo também revelou que do ponto de vista da escolaridade, 446 possuem ao menos a graduação do ensino superior, enquanto 78 possuem algum nível de escolaridade até o ensino médio.

Outro dado importante: 19% dos militantes que participaram do censo são jovens (até 29 anos). Setoriais da AE que contam com maior engajamento são as do sindical (135), mulheres (102), juventude (70) e de combate ao racismo (61). Lembrando que a militância pode ocorrer simultaneamente em mais de um setorial. E os movimentos sociais que contam com maior militância da AE são os de educação, mulheres e de direitos humanos. Muitas outras informações estão disponíveis no Censo e podem ser solicitadas pelas direções e coordenações da tendência à Direção Nacional da AE.

O censo tem o propósito de auxiliar, por meio de um banco de informações, as políticas de organização da AE – nas mais variadas frentes – e de traçar um panorama geral da atuação da nossa militância.

Por fim, é importante salientar que as resoluções do VI Congresso venham a ser matéria de debates e aprofundamento em todos os estados e cidades por parte militância da Articulação de Esquerda, mas também em diálogo com o conjunto da militância petista e com todos e todas que querem “derrotar as duas direitas, construir uma alternativa de esquerda”.

(*) redacao@pagina13.org.br

 

 

Deixe um comentário