Resolução Política do Congresso Tendência Petista Articulação de Esquerda (AE/SE)

Resolução Política do Congresso Tendência Petista Articulação de Esquerda (AE/SE)

Resolução Política do Congresso Tendência Petista Articulação de Esquerda (AE/SE)

Resolução Política do Congresso Tendência Petista Articulação de Esquerda (AE/SE)

Aracaju, 11 dezembro 2021

A militância sergipana da tendência petista Articulação de Esquerda (AE), reunida em congresso estadual na manhã deste sábado, 11 de dezembro, na sede da CUT, em Aracaju, debateu a conjuntura e deliberou:

1. O povo brasileiro, e consequentemente o sergipano, sofre com a volta da extrema miséria, da violência, da carestia e do desemprego, resultado da ação dos governos dos ricos e das classes dominantes, governos Bolsonaro e Belivaldo. A classe trabalhadora precisa virar a mesa, se organizar e fazer mudanças radicais, que passa pelo fortalecimento da luta de rua e pela disputa eleitoral.

2. Existem aliados dos genocidas Bolsonaro e Mourão no Governo estadual e, também, na oposição parlamentar em Sergipe. Lembremos que juntos, governo e oposição, aprovaram a contra-reforma previdenciária estadual, pior que a nacional, para massacrar, ainda mais, os aposentados/as e trabalhadores/as daqui.

3. Embora a campanha Fora Bolsonaro em Sergipe tenha construído uma considerável adesão popular, a esquerda política e social mantém a divergência sobre duas táticas, que na prática, se anulam. Um setor prioriza as atividades institucionais e busca aliança com setores sociais conservadores e partidos da oposição de direita, na disputa para o governo estadual.

4. A outra tática na esquerda sergipana busca construir uma campanha eleitoral para o Governo de Sergipe como um “movimento de massas”, onde a prioridade é ganhar apoio popular, organizando o povo trabalhador das periferias e polarizando com as direitas neoliberal e fascista. Buscando levar a candidatura petista para a vitória, mas tendo força social para sustentar o futuro governo. Por óbvio, esse desenho estadual, se insere em uma tática nacional onde a grande maioria das esquerdas brasileiras apoiarão a candidatura de Lula para presidente, que também terá um programa de reformas estruturais e uma aliança de esquerda, sem tucanos dentro ou fora do PSDB. Ou seja, Fora Bolsonaro, Fora Alckmin e Fora PL de Bolsonaro da aliança estadual do PT! É essa posição da militância petista da AE em Sergipe.

5. Nesse sentido, defendemos que o senador petista e pré-candidato ao governo estadual, Rogério Carvalho, se (re)posicione publicamente contrário ao “orçamento secreto” do governo assassino de Bolsonaro. Pois é crescente a compreensão na população sergipana que Bolsonaro compra apoio político a todo momento, sua sobrevivência junto à maioria dos/as parlamentares federais brasileiros, e assim se mantém presidente, além de aprovar medidas eleitoreiras que visam à reeleição. Mas que também realiza cada vez mais novas maldades contra a classe trabalhadora: privatizações, reformas neoliberais, como a Reforma Administrativa (Proposta de Emenda à Constituição 32 – PEC-32). Impossível defendermos uma candidatura ao governo de Sergipe que aceita o “orçamento secreto” de Bolsonaro e que desrespeita a decisão coletiva da bancada de senadores do partido.

6. Solicitamos imediata reunião da direção do PT/SE, que há muito não acontece, para debater o cenário nacional e estadual, o processo eleitoral e a proposta de federação partidária apresentada nacionalmente pelo PSB. É bom lembrar: a AE foi a única tendência que votou contra a Resolução que concedeu poderes totais ao presidente estadual do PT e ao senador pré-candidato, para definir as alianças majoritárias estaduais.

7. Pelo exposto, a militância petista da AE realizará nova plenária estadual em janeiro de 2022, para continuar a debater a tática e o programa da candidatura petista ao governo de Sergipe. É bom que deixemos nossa posição bem nítida: não aceitaremos a reedição da aliança do PT com o atual governo estadual, nem a aliança do PT/SE com aliados de Bolsonaro.

8. Construímos e disputamos o PT como partido estratégico na luta pelo socialismo no Brasil e na América Latina. Combatemos o eleitoralismo e o culto à personalidade, infelizmente crescente na esquerda. Nesse sentido, continuaremos nossa campanha de filiação ao PT, mas agora sob o mote “Somos PT, somos Lula. Por um Brasil livre e socialista”.

9. Acreditamos na organização coletiva e em “linha política” construída no debate de ideias e nas lutas cotidianas da classe trabalhadora, inclusive nas batalhas eleitorais. Num momento em que os parlamentares estaduais do Partido ameaçam deixar o PT, caso não tenham o “espaço” que sonham para suas candidaturas. A militância petista da AE/SE reafirma seu compromisso estratégico com o PT e o petismo militante, indicando o Professor Dudu como pré/candidato a Deputado Estadual. Disputaremos uma vaga na assembleia legislativa de Sergipe pelo PT, independente do “espaço” que consigamos na disputa com a burocracia partidária.

É socialista
É petista radical
Dudu (pré-candidato a) deputado estadual

Congresso da tendência petista Articulação de Esquerda em Sergipe

***

Deixe um comentário