Resolução da direção estadual da Articulação de Esquerda São Paulo

Resolução da direção estadual da Articulação de Esquerda São Paulo

Resolução da direção estadual da Articulação de Esquerda São Paulo

Resolução da direção estadual da Articulação de Esquerda São Paulo

A direção estadual da tendência petista Articulação de Esquerda São Paulo, reunida no domingo 19 de dezembro de 2021, aprovou a seguinte orientação política:

1/frente a tendência de agravamento da crise econômica e social, orientamos seguir apoiando e estimulando as lutas e mobilizações sociais, para melhorar a vida do povo, para deter os retrocessos impulsionados pelos neoliberais bolsonaristas e pelos neoliberais não bolsonaristas, para ampliar nossas chances de vitória nas eleições de 2022 e para garantir governabilidade popular para as futuras administrações petistas, em todos os níveis;

2/frente a uma campanha eleitoral que será marcada pela polarização contra a extrema-direita, orientamos estimular desde já a constituição de comitês populares para debater nosso programa de reconstrução e transformação nacional, bem como para debater – no caso de São Paulo – nossas propostas para superar décadas de governo neoliberal tucano;

3/frente ao peso do estado de São Paulo no conjunto do país, orientamos nossa militância a pressionar para que a candidatura Haddad governador acelere o passo, inclusive para frear os boatos e as movimentações que pretendem impedir o PT de ter candidatura a governador em São Paulo;

4/frente a importância de elegermos bancadas de esquerda, para sustentar nosso governo federal e nosso governo estadual, orientamos nossa militância a ampliar o engajamento em todas as dimensões (agendas, redes, contribuições etc.) de nossa pré-campanha a deputada estadual;

5/frente a campanha de setores da mídia e da esquerda em favor de um candidato à vice-presidência golpista e neoliberal, orientamos nossa militância a se opor publicamente, apresentando como argumentos principais contra isso: a) precisamos transformar o Brasil e uma vice neoliberal vai no sentido oposto; b) precisamos de uma campanha de polarização e uma vice neoliberal vai no sentido oposto; c) precisamos evitar novos golpes e uma vice golpista vai no sentido oposto.

6/além dos argumentos acima, lembramos que no estado de São Paulo combatemos os tucanos desde 1994. O principal governador tucano é o “picolé de chuchu”: um conservador com vínculos com a Opus Dei, responsável por privatizações e terceirização, cortes e arrocho contra o funcionalismo, violência policial contra pobres, negros e negras, moradores da periferia. Ademais, Ricardo Sales (o defensor de “passar-a-boiada”) foi secretário particular e secretário do meio ambiente do governador Alckmin, que saiu do PSDB mas não deixou de ser tucano, neoliberal e golpista.

7/tendo em vista todos os argumentos apresentados por nós na reunião do Diretório Nacional do PT ocorrida em 16/12/2022, orientamos nossa militância a seguir combatendo a proposta de federação com o PSB.

8/Podemos e devemos lutar por uma frente de esquerda, podemos e devemos fazer alianças mais amplas de primeiro e segundo turno. Mas não precisamos nem devemos diluir o PT em um “partido-de-partidos”, junto a um partido como o PSB, com regras indefinidas, sob a tutela de um judiciário conservador, em prejuízo da autonomia programática e deliberativa do PT.

9/nossa posição é que decisões sobre a vice e sobre a federação só podem ser adotadas pela base do Partido, através dos processos previstos em nossa estatuto, por exemplo um Congresso.

10/tendo em vista a crescente tendência a transferir decisões estratégicas para núcleos informais e/ou para candidaturas, orientamos nossa militância a seguir defendendo a democracia interna e a organicidade do Partido, incluindo o respeito às instâncias coletivas como espaço correto para fazer debates e tomar decisões;

11/tendo em vista a necessidade de se preparar ideológica e teoricamente para um ano que será de duros enfrentamentos, orientamos toda a militância da tendência a buscar participar da Jornada Nacional de Formação Cloves Castro, entre os dias 31 de janeiro e 04 de fevereiro.

12/Todos os municípios onde temos a tendência organizada devem mobilizar no mínimo um militante orgânico da AE para participar da jornada, além de convidar simpatizantes.

13/Desejamos a toda nossa militância um ano de 2022 melhor, onde derrotemos o bolsonarismo e o neoliberalismo, inclusive os tucanos paulistas, seja os ainda filiados ao PSDB, seja os recém desfiliados.

Viva o PT, viva a classe trabalhadora, viva todos e todas que seguimos lutando por um Brasil soberano, democrático, desenvolvido e socialista.

Deixe um comentário