O “repúdio” de Berzoini

berzoini

Por Valter Pomar (*)

Tomei um susto ao ler, mas um segundo depois imaginei o ocorrido, entrei em contato com o companheiro Ricardo Berzoini e confirmei a hipótese.

Refiro-me a seguinte postagem: https://blogdacidadania.com.br/2022/01/ex-presidente-do-pt-repudia-abaixo-assinado-contra-alckmin/

Como se pode verificar lendo a matéria, o companheiro Berzoini não usa o termo “repúdio”.

Infelizmente, o editor do “blog da cidadania” tomou certa liberdade poética com as declarações do entrevistado.

E por falar em poesia, é notável o número de blogueiros convertidos ao alkimismo, ao ponto de passarem o pano no cidadão (como fez um velho amigo, ao tratar de Pinheirinho).

Mas isto fica para outro momento.

Neste quero falar do que efetivamente disse Berzoini.

Segundo a referida matéria, Berzoini teria dito o seguinte: “Nesse momento nós temos que trabalhar com tranquilidade. Eu não faria nenhum documento, esperaria o diálogo interno. E, principalmente, valorizando a opinião de Lula que extrapola o PT.”

No mundo ideal, estaria totalmente de acordo com Berzoni.

Infelizmente, alguns setores deixaram de lado a “tranquilidade”, anteciparam o debate da vice e passaram a fazer campanha pública em favor de Alckmin.

E o tal “diálogo interno”, se existe, não está sendo travado organizadamente nas instâncias do Partido.

Por exemplo: no dia 16 de dezembro de 2021, data da mais recente reunião do Diretório Nacional do PT, só recordo terem falado a respeito alguns poucos e exatamente os contrários.

Por óbvio, não incluo na categoria “diálogo” o ataque público feito por um vice-presidente nacional do PT à companheira Dilma.

Sendo assim as coisas, compreendo a opinião de Berzoini, mas também compreendo, respeito, apoio e estimulo a militância contrária a se pronunciar publicamente.

Entre outros motivos por ser um direito estatutário dos petistas defenderem seu ponto de vista.

Seja como for, caberá – se não inventarem moda – a um encontro do Partido decidir nossa vice.

Espero  que até lá caia a ficha e todo mundo se convença de  que não faz sentido colocar na vice um cidadão contrário ao que precisaremos fazer no governo. A começar pela revogação da contrarreforma trabalhista.

(*) Valter Pomar é professor e membro do diretório nacional do PT

Deixe um comentário